Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé

biblioteca / textos literários

Diga-me alguma coisa, pelo amor de Deus!

Sacolinha

07 de agosto de 2023

O desafio foi colocado, eu não podia recuar. Afinal, nunca tinha deixado de escrever um texto. Meu lema ali naquele grupo sempre foi: “Tema dado é conto cumprido”. E vira e mexe vinham aqueles assuntos difíceis, contudo eu sempre tinha alguma inspiração e botava no papel. Mas dessa vez pegaram pesado demais, meu Cristo! Aprovaram o tema “espelho”. Na hora percebi que teria problemas. O que eu poderia escrever sobre esse assunto?

Nos primeiros três dias, fiquei caçando uma ideia em que pudesse investir. Como nada vinha, deixei a cabeça livre. Quem sabe se do nada não viria a bendita?

Não veio. Os dias foram se passando e o nosso encontro se aproximando. Resolvi então pedir ajuda. Perguntava a algumas pessoas:

– O que vem à sua cabeça quando eu digo a palavra “espelho”? Uma companheira de trabalho disse que essa palavra representa a verdade: “Aquela coisa de você olhar no espelho e ele te dizer tudo o que você é, sem falsidade, entende?”

Fiquei viajando nessa resposta e refleti sobre o nosso interior. Sim, porque o reflexo dessa verdade é somente externo, ele diz o que você é por fora. E por dentro?

Caramba! Fiquei todo contente por ter algo a escrever e não perdi tempo, fui transpirar na minha mesa de escrita. Iniciei o texto. Depois fiquei meia hora para dar continuidade ao primeiro parágrafo. Não saiu merda que prestasse para adubo. Odeio começar um texto sem saber como vai acabar, sem roteiro, sem um guia...

Então desencanei e investi na pergunta com outras pessoas: – E você, fulano, o que vem à sua cabeça quando eu falo a palavra “espelho”?

Não ouvi nada de original. Ou seja, não é que eu não tinha ideia e nem o que escrever, o tema é que é complexo demais para escrevê-lo assim, em menos de um mês. Se for para ser óbvio é melhor nem começar.

Lembrei-me daquele espelho no teto do motel, mas deixei de lado. O tema não era erotismo.

Fui até a internet para ver se achava algo e encontrei o seguinte sobre o processo de produção de um espelho:

“Os fabricantes usam três camadas. A principal é uma superfície de metal superpolida, que fica no meio do espelho. Por trás dela, existe uma camada escura. Na frente do metal fica uma camada de vidro, que dá solidez ao espelho e protege a película metálica contra riscos. O passo inicial é a limpeza e o polimento do vidro. Feito isso, é hora de aplicar uma camada de prata junto com um produto químico que a faz aderir completamente ao vidro. A terceira etapa é pulverizar uma camada de tinta preta atrás da superfície de prata. Depois, o artefato passa por uma estufa para secar a tinta. E o espelho já está pronto para você admirar sua beleza”.

É. Interessante! Mas e a porra da ideia, meu santo?

Um dia antes do encontro resolvi encarar o tema. Fui até o espelho do quarto, coloquei uma cadeira, me acomodei e encarei o safado com olhos de desafio.

Foram uns quinze minutos de provocações, perguntas e suplícios. Nada consegui arrancar.

Desisti!

De repente vi duas pequenas manchas no meu nariz, criadas ao longo dos anos de uso dos óculos. Fiquei surpreso com aquilo. Aí percebi que há tempos não me via decentemente no espelho. Então aproveitei o momento e cheguei bem perto para namorar meu rosto e contemplar as mudanças que o tempo causou.

Voltei à posição inicial. E fiquei ali, a me olhar no misterioso espelho, à procura de uma ideia.

 

In: Brechó, Meia-Noite e Fantasia. Editora Patuá, 1ª edição; 2016, pp. 21-24.


Sacolinha nasceu em 9 de agosto de 1983 na cidade de São Paulo e é formado em Letras pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). É escritor, autor de romances, livros de contos e crônicas. Em sua trajetória já esteve em programas de televisão como “Programa do Jô” (TV Globo), “Provocações”, “Metrópolis” e “Manos e Minas” (TV Cultura). Ganhou vários prêmios por seus livros e seus projetos. Desenvolve ainda uma palestra por semana nas escolas públicas do estado de São Paulo. Atualmente realiza o projeto “Literatura e Paisagismo – Revitalizando a Quebrada” que tem por objetivo a intervenção em espaços públicos com literatura, grafite e o plantio de árvores.Site: https://escritorsacolinha.com/Instagram: @escritor.sacolinha

Acompanhe as novidades

Imagem de capa de O que cabe no poema?
especiais

O que cabe no poema?

Confira o especial que reúne conteúdos diversos como planos de aula, sequências didáticas, artigos e entrevistas sobre o gênero textual poema.

literatura, gênero textual, produção de texto, planejamento docente, formação leitora, poema, poesia

Imagem de capa de Uma caminhada pela memória negra das cidades brasileiras
educação e cultura

Uma caminhada pela memória negra das cidades brasileiras

Leia a entrevista com Guilherme Soares Dias, idealizador do Guia Negro, projeto de turismo que promove caminhadas pelas histórias e culturas negras em 30 cidades e 21 estados brasileiros.

cidadania, educação antirracista, oralidade, turismo, movimento negro, letramento racial, Guia Negro

Imagem de capa de A hora e a vez das biografias
sobre o Programa

A hora e a vez das biografias

Conheça o novo Caderno Docente com atividades sobre o gênero biografia

Imagem de capa de Na Ponta do Lápis: revista chega ao número 40 com edição especial sobre culturas indígenas
sobre o Programa

Na Ponta do Lápis: revista chega ao número 40 com edição especial sobre culturas indígenas

Confira os conteúdos sobre línguas e literaturas indígenas de autoras(es) de diversas etnias do país

línguas indígenas, revista NPL, formação docente, literatura indígena, educação para as relações étnico-raciais

Comentários


Ninguém comentou ainda, seja o primeiro!

Ver mais comentários

Deixe uma resposta

Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.

Clique aqui para se identificar
inicio do rodapé
Fale conosco Acompanhe nas redes

Acompanhe nas redes

Parceiros

Coordenação técnica

Iniciativa

Parceiros

Coordenação técnica

Iniciativa


Objeto Rodapé

Programa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Artur de Azevedo, 289, Cerqueira César, São Paulo/SP, CEP 05.404-010.
Telefone: (11) 2132-9000

Termos de uso e política de privacidade
Objeto Rodapé

Programa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Artur de Azevedo, 289, Cerqueira César, São Paulo/SP, CEP 05.404-010.
Telefone: (11) 2132-9000