Home
Formação
Pergunte à Olímpia

Pergunte à Olímpia

A BNCC e o olhar para a análise linguística
Profª Olímpia

A BNCC e o olhar para a análise linguística 

 

Queridos professores,

O campo de comentários e sugestões de perguntas, vinculado à enquete sobre a BNCC, rendeu ótimas reflexões e possibilidades de ampliarmos o olhar para diversas questões que cercam o cotidiano de todos vocês, nas salas de aula. Agora, destaco a última pergunta ali anunciada, para nossa análise:

Tenho ouvido várias críticas acerca de que a BNCC tem dado ênfase à gramática, o que significa um retrocesso em relação à análise e reflexão sobre a língua. Como acontece o trabalho com a análise linguística/semiótica proposto pela BNCC?

 

Para podermos pensar sobre o ensino da prática de linguagem de análise linguística/semiótica, convido vocês à apreciação de alguns trechos da BNCC, em função da organização de perguntas-chave:

1. O que significa pensar em um eixo denominado análise linguística/semiótica?

“Em função do privilégio social e cultural dado à escrita, tendemos a tratar as outras linguagens como tratamos o linguístico – buscando a narrativa/relato/exposição, a relação com o verbal –, os elementos presentes, suas formas de combinação, sem muitas vezes prestarmos atenção em outras características das outras semioses que produzem sentido, como variações de graus de tons, ritmos, intensidades, volumes, ocupação no espaço (presente também no escrito, mas tradicionalmente pouco explorado) etc. Por essa razão, em cada campo é destacado o que pode/deve ser trabalhado em termos de semioses/modalidades, de forma articulada com as práticas de leitura/escuta e produção, […] para que a análise não se limite aos elementos dos diferentes sistemas e suas relações, mas seja relacionada a situações de uso.” (BRASIL, 2017, pp. 79-80).

2. Em que consiste o trabalho com esse eixo?

“O Eixo da Análise Linguística/Semiótica envolve os procedimentos e estratégias (meta)cognitivas de análise e avaliação consciente, durante os processos de leitura e de produção de textos (orais, escritos e multissemióticos), das materialidades dos textos, responsáveis por seus efeitos de sentido, seja no que se refere às formas de composição dos textos, determinadas pelos gêneros (orais, escritos e multissemióticos) e pela situação de produção, seja no que se refere aos estilos adotados nos textos, com forte impacto nos efeitos de sentido. Assim, no que diz respeito à linguagem verbal oral e escrita, as formas de composição dos textos dizem respeito à coesão, coerência e organização da progressão temática dos textos, influenciadas pela organização típica (forma de composição) do gênero em questão. No caso de textos orais, essa análise envolverá também os elementos próprios da fala – como ritmo, altura, intensidade, clareza de articulação, variedade linguística adotada, estilização etc. –, assim como os elementos paralinguísticos e cinésicos – postura, expressão facial, gestualidade etc. No que tange ao estilo, serão levadas em conta as escolhas de léxico e de variedade linguística ou estilização e alguns mecanismos sintáticos e morfológicos, de acordo com a situação de produção, a forma e o estilo de gênero.” (BRASIL, 2017, p. 78).

3. De que forma a análise dos textos multimodais será contemplada?

“Já no que diz respeito aos textos multissemióticos, a análise levará em conta as formas de composição e estilo de cada uma das linguagens que os integram, tais como plano/ângulo/lado, figura/fundo, profundidade e foco, cor e intensidade nas imagens visuais estáticas, acrescendo, nas imagens dinâmicas e performances, as características de montagem, ritmo, tipo de movimento, duração, distribuição no espaço, sincronização com outras linguagens, complementaridade e interferência etc. ou tais como ritmo, andamento, melodia, harmonia, timbres, instrumentos, sampleamento, na música.” (BRASIL, 2017, p. 79).

4. A análise linguística/semiótica deve ser trabalhada de forma isolada?

“A separação dessas práticas (de uso e de análise) se dá apenas para fins de organização curricular, já que em muitos casos (o que é comum e desejável), essas práticas se interpenetram e se retroalimentam (quando se lê algo no processo de produção de um texto ou quando alguém relê o próprio texto; quando, em uma apresentação oral, conta-se com apoio de slides que trazem imagens e texto escrito; em um programa de rádio, que embora seja veiculado oralmente, parte-se de um roteiro escrito; quando roteirizamos um podcast; ou quando, na leitura de um texto, pensa-se que a escolha daquele termo não foi gratuita; ou, ainda, na escrita de um texto, passa-se do uso da 1ª pessoa do plural para a 3ª pessoa, após se pensar que isso poderá ajudar a conferir maior objetividade ao texto).” (BRASIL, 2017, p. 80).

Após a leitura das respostas, entendo ser possível concluir que não se trata de um “retrocesso em relação à análise e reflexão sobre a língua”, mas sim de uma discussão assentada na investigação dos saberes dos alunos, com vistas à seleção e ao estudo de diferentes gêneros do discurso, os quais convocam um olhar articulado das práticas de linguagem (oralidade, leitura/escuta, produção - escrita e multissemiótica – e análise linguística/semiótica). Nesse sentido, as habilidades anunciadas na BNCC – para cada prática de linguagem - devem ser lidas pelo “movimento de encontro”, de forma a favorecer o ensino consistente, significativo e, especialmente, aderente às demandas atuais de comunicação de nossas crianças e de nossos jovens.

Uma dica: confira as discussões do site da Nova Escola sobre a BNCC de língua portuguesa!

Vamos esticar a prosa? Esperarei por vocês!

Bj, muito obrigada e até já,

Olímpia

Comentários

Ver mais comentários
Adicionar comentário
Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.
Clique aqui para se identificar
Título
Comentário
Parceiros
Futura
 
Undime
 
Consed
Coordenação técnica
Cenpec
Iniciativa
Itau
 
Ministerio da Educação
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Minas Gerais, 228 Higienópolis, CEP 01244-010 São Paulo/SP
Central de atendimento: 0800-7719310