Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé Fale conosco
Portal da Olimpiada de Lingua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Linkes rede sociais.        

Pergunte a Olímpia

Inicio do conteudo

Pergunte à Olímpia: Navegue pelas perguntas abaixo utilizando as setas e tecle enter para acessar a pergunta.

Autor Profª Olímpia
Pergunta:

O trabalho com cartas em sala de aula é o tema da conversa com Olímpia desta semana. Confira.

 

 

Queridos educadores,

Ao me deparar com a pergunta dessa semana, feita pela professora Celeste, logo imaginei que ela renderia uma boa prosa, possivelmente, com direito a vozes favoráveis e contrárias...

Isso porque a questão envolve o trabalho com um gênero visto, por muitos, como antigo, sem função nas práticas contemporâneas, mas ainda presente em propostas curriculares. Vamos acompanhar a mensagem da Celeste, para entendermos melhor qual o “desafio da semana”?

Professora Olímpia, tudo bem?

Minha pergunta parece simples, mas está dando o que falar aqui na minha escola! Recebemos a orientação para o trabalho com cartas pessoais, nas salas do 4o ano. Você acha que vale a pena ou é tempo perdido, já que quase não escrevemos e recebemos cartas?

Agradeço pela ajuda.

Bj,

Celeste Lima  

 

Para responder a sua pergunta, entendo que devemos levar em consideração vários aspectos do trabalho com gêneros do discurso. Falarei sobre dois deles (clique nos itens abaixo para saber mais):

1. A relação entre situação de produção e gênero discursivo.

2. O objetivo maior do ensino com gêneros na escola.

Então, professora Celeste, diante dessas considerações, não vejo problemas em trabalhar com o gênero cartas pessoais e quero sugerir que você comece essa exploração “conversando” com uma outra professora, a Imaculada, que revela a pertinência desse trabalho, diante de um cenário no qual a escrita de cartas pessoais promoveu grandes encontros e avanços, anunciados no episódio “A escrita atravessando muros”, da seção Pérolas da Imaculada:

Percebe como o trabalho, realizado diante de um contexto significativo, pode gerar amplos resultados? Para ajudar nessa análise, vale conferir as considerações da professora Regina Clara, parceira do Programa, ao analisar o episódio:

Para terminar, depois desse “encontro de professoras”, gostaria de fazer duas indicações:

- um material que evidencia um possível caminho de relações entre gêneros discursivos, começando pela carta pessoal, passando pela carta de leitor e chegando ao e-mail. Trata-se de uma publicação da Prefeitura de São Paulo, elaborada em 2010, chamada “Caderno de Apoio e Aprendizagem” (4o ano, parte 1);

- o projeto “Cantos Distantes”, apresentado no Seminário Internacional Práticas de Escrita: da cultura local à sala de aula, promovido pelo Programa Escrevendo o Futuro, em 2015, e analisado na seção Lente de aumento na escrita.

Espero ter contribuído com algumas inspirações para seu trabalho. Fique à vontade para continuar a prosa!

Bj carinhoso, obrigada e até já,

Olímpia

Comentários

Ver mais comentários

Adicionar comentário

Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.

Clique aqui para se identificar

Título

fim do conteudo
inicio do rodapé
Parceiros
Fundação Roberto Marinho
 
Futura
 
Undime, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação
 
Conséd, Conselho Nacional de Secretários de Educação
Coordenação técnica
Cenpec, Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Iniciativa
Itaú
 
Ministério da Educação
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Minas Gerais, 228 Higienópolis, CEP 01244-010 São Paulo/SP
Central de atendimento: 0800-7719310
Fim do rodapé