Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé Fale conosco
Portal da Olimpiada de Lingua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Linkes rede sociais.        

Documentário mostra comunidade quilombola pelo olhar de jovem estudante

Inicio do conteudo
Assunto: null
Autora: Marina Almeida
29 Junho 2020

 

Um dos vencedores na categoria Documentário da Olimpíada de Língua Portuguesa 2019, “Meu lugar, Ubaranas” conta a história de uma comunidade de remanescentes quilombolas a partir do olhar de um jovem de 16 anos nascido ali.

As imagens da rotina de André na pequena comunidade rural de Córrego de Ubaranas vão revelando o cotidiano de seus moradores, o trabalho no campo, o cuidado com a pequena igreja, a ida para escola. No percurso, ele nos apresenta alguns de seus moradores, que ganham a palavra para contar sobre sua vida e a história dos quilombolas.

O documentário foi realizado pelos alunos Bruna Santos Vitalino Almeida, Francisco André Silva de Moura, e Lucas Cauã de Lima da Silva, da Escola Estadual Barão de Aracati, localizada no município de Aracati (CE). A orientação do trabalho foi feita pelo professor Francisco Márcio Pereira da Silva.

Os alunos contam que os entrevistados foram sugeridos por André Moura, o estudante que apresenta seu ponto de vista sobre sua comunidade. “Partindo da ideia inicial de que mostraríamos uma comunidade em luta pelo reconhecimento como quilombola, essas pessoas são as que podem contar essa história, porque eles a fazem diariamente”, explica o grupo de alunos.

Os jovens documentaristas também falam sobre o registro da memória e da preservação da identidade quilombola: “o papel do documentário é de grande importância porque agregou mais visibilidade à causa da comunidade, gerando mais discussão sobre o tema e fortalecendo a luta”.

Assista ao documentário completo!

Meu lugar, Ubaranas

Sinopse: O lugar onde as pessoas vivem conta muito sobre elas, ou seriam elas, as pessoas, que contam muito sobre seu lugar? Para mostrar sua comunidade, o estudante André conta das pessoas, ou melhor, permite que elas mesmas “se contem”. Assim, um pouco da história dessa comunidade cearense, remanescente quilombola, revela-se para nós em suas nuances mais particulares. Nos pequenos detalhes, nos conflitos pela terra e pela vida, na busca pela identidade, na luta pela preservação da memória. Uma memória que tanto pode estar escrita à mão, nos cadernos de Dona Madalena, na rotina inalterada do Seu Pelé ou nas grossas paredes da centenária Igreja de São José. Com a missão de falar do seu lugar, André faz um mergulho naquilo que é, aos seus olhos, mais contundente no lugar onde vive.

Equipe realizadora:

Bruna Santos Vitalino Almeida Francisco André Silva de Moura Lucas Cauã de Lima da Silva Prof. Francisco Márcio Pereira da Silva

 

Escola Estadual Barão de Aracati - Aracati / CE

 

 

Para ver os outros documentários vencedores da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, clique aqui.


Conteúdo relacionado

Mais conteúdos sobre o Assunto

Comentários

Ver mais comentários

Adicionar comentário

Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.

Clique aqui para se identificar

Título

Fim do conteudo.
inicio do rodapé
Parceiros
Fundação Roberto Marinho
 
Futura
 
Undime, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação
 
Conséd, Conselho Nacional de Secretários de Educação
Coordenação técnica
Cenpec, Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Iniciativa
Itaú
 
Ministério da Educação
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Minas Gerais, 228 Higienópolis, CEP 01244-010 São Paulo/SP
Central de atendimento: 0800-7719310
Fim do rodapé