Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé Fale conosco
Portal da Olimpiada de Lingua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Linkes rede sociais.        
Assunto: null
Autora: Marina Almeida
25 Agosto 2020

Reunindo escritores e artistas como Geni Guimarães, Conceição Evaristo, Eliane Potiguara, Daniel Munduruku, Douglas Machado e Juraci Tavares, Balada Literária acontece de forma virtual de 3 a 7 de setembro

Desde 2006, a Balada Literária reúne escritores consagrados, iniciantes e artistas de diversas áreas para pensar, debater e difundir a arte e a literatura no país. Este ano, pela primeira vez, o evento será realizado de forma totalmente virtual. A homenageada nacional desta edição será Geni Guimarães, escritora e poeta, que ganhou o Prêmio Jabuti em 1990 com o livro A cor da ternura. Além da autora, o cinema brasileiro também estará em destaque na programação.

Tradicionalmente, a Balada Literária acontece em três cidades brasileiras – São Paulo (SP), Salvador (BA) e Teresina (PI). Na versão 2020, on-line, o formato será mantido, com dois homenageados regionais: o cineasta piauiense Douglas Machado e o escritor e compositor baiano Juraci Tavares. O evento ocorrerá em duas datas: as mesas de Teresina ocorreram nos dias 24 e 25 de agosto, e estão disponíveis no canal do YouTube Balada Litherária-PI, já a programação de São Paulo e Salvador será de 3 a 7 de setembro (acompanhe pela página baladaliteraria.com.br).

O escritor Marcelino Freire, idealizador do evento e um de seus organizadores, falou sobre a realização do evento de forma on-line este ano: “É para dizer que estamos presentes, vivos, em casa. É uma celebração da amizade, da cultura e do encontro”, disse na live de pré-lançamento.

Geni Guimarães

A escritora homenageada participou do Encontro de Semifinalistas da Olimpíada de Língua Portuguesa em 2019, quando falou com os professores sobre sua trajetória, a luta contra o racismo e o papel da escola neste combate. No mesmo Encontro, os alunos semifinalistas de Memórias Literárias tiveram a oportunidade de entrevistar Geni e escrever sobre sua infância.

Como parte das homenagens da Balada Literária, um documentário sobre a vida e a obra de Geni Guimarães terá sua estreia na programação do evento. O filme tem direção e produção de Day Rodrigues – que também participou da Olimpíada de Língua Portuguesa em 2019, como parte da Comissão Julgadora de Documentários. “Fomos até Barra Bonita (SP), onde ela mora, e registramos um pouco da atmosfera de vida desta escritora, poeta e contadora de causos, que vive cercada pelos cuidados de sua família”, explica a cineasta.

Day, que é ativista de temas raciais e trabalha com artistas e pensadores negros, conta que boa parte da equipe do filme é formada por pessoas negras. “Nesta sociedade racista, onde os negros não têm as mesmas oportunidades, é importante buscar esse lugar de intersecção e trazer a negritude e a subjetividade negra. Buscamos um lugar de afinidade e afetividade para produzir um filme à altura de Geni”, ressalta.

A cineasta ainda fala sobre a importância de ler as obras da autora: “precisamos entender que enquanto essas vozes forem silenciadas historicamente, não será possível viver num país justo, no sentido de direitos e oportunidades iguais para todos. A Geni fala muito sobre a importância de fabular e sonhar, mas para isso precisamos lutar por condições de vida digna para todos”.

Na programação da Balada Literária, além da apresentação do filme em sua homenagem, Geni participará de dois encontros. Na abertura do evento, quinta-feira às 19h, Geni e a também escritora Conceição Evaristo conversam com Day Rodrigues e a bibliotecária Bel Santos Mayer. Já na segunda-feira (07/09), às 16h, Geni participa de um bate papo com a presença da escritora indígena Eliane Potiguara.

Cinema e literatura

“A Balada Literária não é só venda de livros, ela contextualiza discussões e promove a conexão da literatura com outras artes. Nesta edição estamos falando de racismo e também sobre o cinema brasileiro, que neste momento sofre com a falta de apoio, e não apenas por conta da destruição da Ancine (Agência Nacional do Cinema). Falta também visibilidade e espaço nas salas de exibição para os filmes nacionais”, ressaltou Wellington Soares, escritor e curador da Balada Literária no Piauí, na live de pré-lançamento do evento.

Wellington falou ainda sobre a importância do homenageado regional, Douglas Machado. Diretor de Cipriano, primeiro longa-metragem da história do cinema piauiense, o cineasta participou de um debate sobre seu filme, no dia 24, e mediou uma prosa com a atriz Zezé Motta sobre o cinema brasileiro no dia 25.

Em setembro, Douglas também participará de um debate na edição nacional e apresentará um documentário inédito: um filme sobre a trajetória do escritor Juraci Tavares, homenageado da Bahia. Junto com Douglas e Day, a cineasta Camila de Moraes também apresentará um documentário. Ela é a diretora de O caso do homem errado, que conta a história de seu tio, um homem negro que, há 30 anos, foi levado por engano e morto pela polícia.

“Mais do que falar sobre cinema, estamos fazendo cinema dentro da Balada. São três filmes sendo feitos, dois deles produzidos por mulheres negras e periféricas. Não é conversa sobre diversidade, é a sua prática”, aponta Nelson Maca, poeta e curador da Balada Literária em Salvador.

Diversidade

Os organizadores ainda ressaltaram a diversidade de temas e pessoas que marca as edições da Balada Literária. “Sempre tivemos uma presença forte dos LGBTQi+, dos jovens iniciando a carreira, da negritude, que é um tema muito forte deste ano... Teremos também a presença da comunidade indígena, com oficinas de escritores indígenas. É uma característica da Balada reunir várias linguagens e lugares de fala, para usar uma expressão bem polêmica”, contou Nelson.

“Já me perguntaram porque eu trazia tantas pessoas desconhecidas para a Balada Literária. Para mim, esse é um grande elogio. Eu digo: venha para a Balada para conhecer, porque esse é um encontro de pessoas, é essa a nossa grande celebração”, lembrou Marcelino.

Sobre o novo formato em tempos de isolamento social, Wellington reflete: “a vantagem deste modelo é que podemos chegar a um público maior, de outras cidades e também de outros estados”.

Veja a programação para a Balada Literária de São Paulo e Salvador

Quinta-feira (03/09):

10h: – Uma aula sobre a literatura piauiense, de Mário Faustino e Torquato Neto à produção contemporânea. Apresentação do professor e escritor NATHAN SOUSA

19h: Abertura da BALADA LITERÁRIA 2020:

- O curador MARCELINO FREIRE entra ao vivo com os curadores NELSON MACA (Salvador) e WELLINGTON SOARES (Teresina)

- Exibição do documentário sobre GENI GUIMARÃES dirigido por DAY RODRIGUES

- Na Biblioteca Mário de Andrade, DAY RODRIGUES e a bibliotecária BEL SANTOS MAYER conversam com CONCEIÇÃO EVARISTO e GENI GUIMARÃES, homenageada da Balada Literária 2020

- Homenagem a João Cabral de Melo Neto feita pela cantora e compositora HELÔ RIBEIRO

- SHOW DA ABERTURA:

com GABI DA PELE PRETA, Caruaru, PE

22h: BALADA DA BALADA (se quiser participar da festa, solicite senha escrevendo o nome “Nelson Maca” para o e-mail: zoombaladaliteraria@gmail.com):

Sarau comandado por NELSON MACA com as presenças de ANAJARA TAVARES e JEF, o poeta moçambicano RAS TANDAS e a poeta nigeriana OKWEI ODILI

Sexta-feira (04/09):

10h: Uma aula sobre a poesia negra feita na Bahia. Apresentação do professor SILVIO ROBERTO OLIVEIRA

14h: LANDÊ ONAWALÊ conversa com ESMERALDA RIBEIRO e MIRIAM ALVES

16h: Edição especial do programa “Papo (P)reto:

Papo (P)reto é uma série de conversas públicas elencando eixos fundamentais da nossa sociedade: Arte, Teoria, Luta Antirracista, Filosofia, Biografia, História, Saúde Pública & Ancestralidade Negra.

Realizado por meio de lives, apresentadas pelo ator, apresentador e sociólogo em formação SIDNEY SANTIAGO KUANZA

- EDIÇÃO ESPECIAL: O Cinema Negro e o Futuro com Cineasta, diretor, professor e curador JOEL ZITO ARAÚJO, conhecido por tematizar a questão racial na sociedade brasileira, sua obra inclui os filmes: “A Negação do Brasil”, o longa ficcional, “As Filhas do Vento” e “Meu Amigo Fela”.

18h: – Exibição do documentário “Uma conversa com Douglas Machado”, sobre o homenageado da Balada Literária em Teresina, o cineasta DOUGLAS MACHADO, que dirige o filme ao lado de Márcio Bigly

- Logo em seguida, uma live com DOUGLAS MACHADO mediada por THIAGO E e MILENA ROCHA

- Exibição de “O Caso do Homem Errado”, documentário de CAMILA DE MORAES, com fala inicial da diretora sobre a nova cena de cineastas negras no Brasil

- Show com AS CLARIANAS, Taboão da Serra, SP

22h: - BALADA DA BALADA: (se quiser participar da festa, solicite senha escrevendo o nome “Bailin do Burro” para o e-mail: zoombaladaliteraria@gmail.com):

Bailin do Burro comandado por DANIEL MINCHONI e EVELINE SIN, passando a limpo a trajetória do Sarau e do Selo do Burro.

Participações de BINHO, BRENDA LÍGIA, CELSO BORGES, FELIPE MARINHO, TATIANA NASCIMENTO e TOM GRITO

- Lançamento dos livros "Fragmentos de uma canção impossível ", de arrudA; e "O que se ouviu e o que não se ouviu na Semana de 22", de Livio Tragtenberg

- Entrega do Prêmio Donizete Galvão.

Sábado (05/09):

10h: Uma mesa de bate-papo com CIDINHA DA SILVA e LÍVIA NATÁLIA.

Apresentação e mediação da professora ASSUNÇÃO SOUSA

14h: – Na Biblioteca Mário de Andrade, o encontro entre as poetas LUZ RIBEIRO, NATASHA FÉLIX e JOCÉLIA FONSECA com mediação de ODAILTA ALVES

16h: – Edição especial do programa “Papo (P)reto:

"Arte Negra, Isolamento e Perspectivas Futuras" com a professora AZA NJERI, pesquisadora, professora e multiartista. Especializada em estudos africanos e afro-diaspóricos.

Apresentação de SIDNEY SANTIAGO KUANZA

18h: – Exibição do documentário sobre o homenageado da Balada Literária em Salvador, o cantor e compositor JURACI TAVARES, dirigido por RICARDO SOARES.

- FABIANA COZZA conversa com JURACI TAVARES

- CHICCO ASSIS e MARIELLA SANTIAGO conversam com MESTRE JORJÃO BAFAFÉ, um dos criadores do Badauê

- Exibição do documentário “Alberto da Costa e Silva - O Retorno do Filho”, de Douglas Machado. Uma viagem de regresso a Amarante, no Piauí, feita pelo poeta e historiador Alberto da Costa e Silva.

22h: BALADA DA BALADA (se quiser participar da festa, solicite senha escrevendo o nome “Diversidade” para o e-mail: zoombaladaliteraria@gmail.com):

Festa Sarau da Diversidade, apresentada por ED MARTE e RENATO NEGRÃO com a participação de BRISA ALKIMIN, CAPITU DO BRASIL, CORAL, JOMAKA e MARTA NEVES.

Participação especial de CLODD DIAS

Domingo (06/09):

11h: – Uma aula sobre Lima Barreto:

- “Retratos de Lima Barreto” são leituras de obras do escritor seguindo um recorte: Lima Barreto & O Social – Porta-Voz dos Excluídos, onde serão abordados fragmentos de contos, romances, dramaturgia e memórias, falando de exclusão e desigualdade social para fornecer aos ouvintes um panorama crítico do autor.

A pesquisa é do Selo Homens de Cor, com contextualização e interpretação de SALLOMA SALOMÃO e leitura de SIDNEY SANTIAGO KUANZA.

14h: – Edição especial do programa “Papo (P)reto:

“A formação de leitores e leitoras”, com a mediadora de leitura ANA PAULA CARNEIRO, da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, e com a professora LUCIENE PEREIRA, da Olimpíada da Língua Portuguesa.

Apresentação de SIDNEY SANTIAGO KUANZA

16h: – Mesa de Glosa na Biblioteca Mário de Andrade com as poetas glosadoras do Sertão do Pajeú, em Pernambuco.

A poeta LUNA VITROLIRA coordena mesa de improvisos com as poetas DAYANNE ROCHA, ELENILDA AMARAL, FRANCISCA ARAÚJO, MILENE AUGUSTO e ERIVONEIDE AMARAL

- Homenagem ao poeta MARCO PEZÃO, que ao lado de SÉRGIO VAZ criou o Sarau da Cooperifa

- Participação especial da cordelista sergipana IZABEL NASCIMENTO, homenageando MARIA DAS NEVES, que na década de 1930 escrevia cordéis mas era o marido quem assinava por ela

- Exibição do documentário “Mercearia 5.1”, dirigido por Rodney Suguita, em comemoração aos 51 anos da Mercearia São Pedro.

- Show com BATUQUE ELÉTRICO, de Teresina, Piauí

22h: - BALADA DA BALADA: (se quiser participar da festa, solicite senha de acesso escrevendo o nome “Escritoras” para o e-mail: zoombaladaliteraria@gmail.com):

MORGANA KRETZMANN, escritora e produtora da Balada Literária, apresenta uma noite dedicada a "ESCRITORAS" com a participação de DALVA SOARES, KARINE BASSI, MICHELLE HENRIQUES, MONIQUE MALCHER e RAINHA DO VERSO

Segunda-feira (07/09):

11h: – Edição especial do programa “Papo (P)reto:

“Retratos da mídia brasileira e o impacto na psiquê de pessoas negras em isolamento”, com

ROSANE BORGES, escritora, professora universitária de comunicação e autora dos livros:

“Espelho Infiel: O negro no Jornalismo Brasileiro” e “Mídia e racismo”.

Apresentação de SIDNEY SANTIAGO KUANZA

14h: Na Biblioteca Mário de Andrade, show com a cantora e compositora MARIA PÉROLA.

Antes, JULIANE SOUSA e CARINE SOUZA falam sobre o projeto MULHERES NEGRAS NA BIBLIOTECA

16h: - Agradecimento dos curadores MARCELINO FREIRE, NELSON MACA e WELLINGTON SOARES

– Homenagem ao escritor Sérgio Sant’Anna

– Encontro entre GENI GUIMARÃES e a escritora ELIANE POTIGUARA

Apresentação de CLAUDINEY FERREIRA.

18h: Encerramento da Balada Literária com show da cantora e compositora CÁTIA DE FRANÇA


Conteúdo relacionado

Mais conteúdos sobre o Assunto

Comentários

Ver mais comentários

Adicionar comentário

Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.

Clique aqui para se identificar

Título

Fim do conteudo.
inicio do rodapé
Parceiros
Fundação Roberto Marinho
 
Futura
 
Undime, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação
 
Conséd, Conselho Nacional de Secretários de Educação
Coordenação técnica
Cenpec, Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Iniciativa
Itaú
 
Ministério da Educação
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
Cenpec - Rua Minas Gerais, 228 Higienópolis, CEP 01244-010 São Paulo/SP
Central de atendimento: 0800-7719310
Fim do rodapé