Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé Fale conosco
Portal da Olimpiada de Lingua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Linkes rede sociais.        
Assunto: null
Autor: Marcos Paulo Santos
04 Maio 2022

 

TEMA:

O estudo dos processos de variação linguística e a construção de uma língua inclusiva para a sociedade atual.

 

PÚBLICO-ALVO:

Estudantes da 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio.

 

Nº DE AULAS:

  • 10 a 13 aulas.

 

RECURSOS MATERIAIS NECESSÁRIOS:

  • Multimídia (projetor, sala de informática, etc.).
  • Cópias impressas do(s) texto(s) sugerido(s).

 

OBJETO DO CONHECIMENTO (BNCC):

Variação linguística.

 

HABILIDADES E COMPETÊNCIAS  (BNCC):

COMPETÊNCIA ESPECÍFICA nº 2

Compreender os processos identitários, conflitos e relações de poder que permeiam as práticas sociais de linguagem, respeitando as diversidades e a pluralidade de ideias e posições, e atuar socialmente com base em princípios e valores assentados na democracia, na igualdade e nos Direitos Humanos, exercitando o autoconhecimento, a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, e combatendo preconceitos de qualquer natureza.

HABILIDADES: EM13LP20Compartilhar gostos, interesses, práticas culturais, temas/problemas/questões que despertam maior interesse ou preocupação, respeitando e valorizando diferenças, como forma de identificar afinidades e interesses comuns, como também de organizar e/ou participar de grupos, clubes, oficinas e afins.; EM13LP42Acompanhar, analisar e discutir a cobertura da mídia diante de acontecimentos e questões de relevância social, local e global, comparando diferentes enfoques e perspectivas, por meio do uso de ferramentas de curadoria (como agregadores de conteúdo) e da consulta a serviços e fontes de checagem e curadoria de informação, de forma a aprofundar o entendimento sobre um determinado fato ou questão, identificar o enfoque preponderante da mídia e manter-se implicado, de forma crítica, com os fatos e as questões que afetam a coletividade.; EM13LP01Relacionar o texto, tanto na produção como na leitura/escuta, com suas condições de produção e seu contexto sócio-histórico de circulação (leitor/audiência previstos, objetivos, pontos de vista e perspectivas, papel social do autor, época, gênero do discurso etc.), de forma a ampliar as possibilidades de construção de sentidos e de análise crítica e produzir textos adequados a diferentes situações..
 

COMPETÊNCIA ESPECÍFICA nº 3

Utilizar diferentes linguagens (artísticas, corporais e verbais) para exercer, com autonomia e colaboração, protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva, de forma crítica, criativa, ética e solidária, defendendo pontos de vista que respeitem o outro e promovam os Direitos Humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável, em âmbito local, regional e global.

HABILIDADES: EM13LP20Compartilhar gostos, interesses, práticas culturais, temas/problemas/questões que despertam maior interesse ou preocupação, respeitando e valorizando diferenças, como forma de identificar afinidades e interesses comuns, como também de organizar e/ou participar de grupos, clubes, oficinas e afins..
 

COMPETÊNCIA ESPECÍFICA nº 4

Compreender as línguas como fenômeno (geopolítico, histórico, cultural, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso, reconhecendo suas variedades e vivenciando-as como formas de expressões identitárias, pessoais e coletivas, bem como agindo no enfrentamento de preconceitos de qualquer natureza.

HABILIDADES: EM13LP10Analisar o fenômeno da variação linguística, em seus diferentes níveis (variações fonético-fonológica, lexical, sintática, semântica e estilístico-pragmática) e em suas diferentes dimensões (regional, histórica, social, situacional, ocupacional, etária etc.), de forma a ampliar a compreensão sobre a natureza viva e dinâmica da língua e sobre o fenômeno da constituição de variedades linguísticas de prestígio e estigmatizadas, e a fundamentar o respeito às variedades linguísticas e o combate a preconceitos linguísticos.; EM13LP09Comparar o tratamento dado pela gramática tradicional e pelas gramáticas de uso contemporâneas em relação a diferentes tópicos gramaticais, de forma a perceber as diferenças de abordagem e o fenômeno da variação linguística e analisar motivações que levam ao predomínio do ensino da norma-padrão na escola..
 

 

OBJETIVOS GERAIS:

  • Apresentar, ou retomar, aos alunos e alunas as noções relativas à variação linguística, em seus diversos níveis de ocorrência.
  • Introduzir a noção de uso da língua como uma ferramenta de poder que pode ser usada como instrumento de empoderamento dos sujeitos, por exemplo, as mulheres.
  • Possibilitar a reflexão sobre movimentos atuais de mudança e de variação da língua presentes nas mídias, sobretudo no meio digital, e reconhecer os conflitos ideológicos existentes nesses processos, sobretudo nas propostas de uma linguagem inclusiva.

 

ETAPA 1 - A língua em movimento: processos de variação no uso da língua (2 aulas)

ETAPA 2 - Língua e poder: pode a língua excluir as pessoas? (1 ou 2 aulas)

ETAPA 3 - A mulher na sociedade, a mulher na língua! (1 ou 2 aulas)

ETAPA 4 - Língua(gem) inclusiva: o que é e como se faz? (2 a 3 aulas)

ETAPA 5 - Na escola, há espaço para “todes”? (2 aulas)

ETAPA 6 - Língua(gem) inclusiva: quando pode? (2 aulas)

 


REFERÊNCIAS 

ABRAÇADO, Jussara. Entrevista com Maria Marta Pereira Scherre sobre preconceito lingüístico, variação lingüística e ensino. Revista Cadernos de Letras da UFF–Dossiê: Preconceito lingüístico e cânone literário, Rio de Janeiro, n. 36, p. 11-26, 2008. Disponível em: http://moodle.stoa.usp.br/file.php/1103/textos/Norma_e_Ensino/SCHERRE_entrevista.pdf. Acesso em: 25 abr. 2022.

ALib - Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Disponível em: https://alib.ufba.br/. Acesso em: 25 abr. 2022.

AMARAL, Eduardo Tadeu Roque; SANTOS, Marcos Paulo. Mudanças nas estratégias nominais para a referência a seres humanos em discursos parlamentares do Rio Grande do Sul (Brasil). Études romanes de Brno. Vol. 42, iss. 1, pp. 163-183. 2021. Disponível em: https://digilib.phil.muni.cz/handle/11222.digilib/144085. Acesso em: 25 abr. 2022.

Atlas linguístico do Brasil: descrevendo a língua, formando jovens pesquisadores. 2009. Disponível em: https://alib.ufba.br/sites/alib.ufba.br/files/descrevendo_a_lingua_formando_jovens_pesquisadores_-_dvd_1_2009.pdf. Acesso em: 25 abr. 2022.

CARTACAPITAL (Brasil). Falar “presidenta” é tão correto quanto “presidente”. CartaCapital, 29 nov. 2014. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/politica/falar-201ca-presidenta201d-e-tao-correto-quanto-201ca-presidente201d-3220. Acesso em: 18 abr. 2022.

Diplomas de graduadas terão que grafar profissões no feminino. Extra. Disponível em: https://extra.globo.com/noticias/brasil/diplomas-de-graduadas-terao-que-grafar-profissoes-no-feminino-4497560.html. Acesso em: 25 abr. 2022.

FAROL DA BAHIA. Português brasileiro tem nota menor e rende discriminação em escolas e universidades de Portugal. Farol da Bahia. Disponível em: https://www.faroldabahia.com.br/noticia/portugues-brasileiro-tem-nota-menor-e-rende-discriminacao-em-escolas-e-universidades-de-portugal. Acesso em: 25 abr. 2022.

JANA VISCARDI. “Língua para todes: um ensaio sobre o gênero neutro”. Blog: Anderson Rodrigues. Disponível em: https://andersonrodrigues.pro.br/lingua-para-todes-um-ensaio-sobre-o-genero-neutro/. Acesso em: 25 abr. 2022.

Linguagem neutra e sua inclusão na comunicação. YouTube: TV UFMG. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=o4CKf3PTgck. Acesso em: 25 abr. 2022.

Mulheres Fantásticas #10 | Wangari Maathai. YouTube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=pu5uSL5w7WA. Acesso em: 25 abr. 2022.

SANTOS, Marcos Paulo. Sexismo linguístico e nomes gerais: a construção de uma língua inclusiva. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos da UFMG). Faculdade de Letras da UFMG, Belo Horizonte, 2019. Disponível em: http://hdl.handle.net/1843/LETR-BAERAK. Acesso em 18 abr. 2022.

TOLEDO, Leslie Campaner de et al. Manual para o uso não sexista da linguagem: o que bem se diz bem se entende. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 2014. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3034366/mod_resource/content/1/Manual%20para%20uso%20n%C3%A3o%20sexista%20da%20linguagem.pdf. Acesso em: 18 abr 2022.

VARIAÇÕES Linguísticas Regionais. YouTube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=iu4ra9tkFWM. Acesso em: 18 abr. 2022.

 


Sobre o autor

Marcos Paulo Santos é mestre em Variação e Mudança Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Recebeu o Prêmio de Melhor Dissertação do Poslin/UFMG de 2019 com o estudo da temática da linguagem inclusiva. Atua como professor de língua portuguesa na rede pública estadual de Minas Gerais, professor de redação para o ensino médio e revisor de textos na rede privada de Belo Horizonte.

Contato: marcospaulomp02@gmail.com


Conteúdo relacionado

Mais conteúdos sobre o Assunto

Comentários

Ver mais comentários

Adicionar comentário

Olá, visitante. Para fazer comentários e respondê-los você precisa estar autenticado.

Clique aqui para se identificar

Título

Fim do conteudo.
inicio do rodapé
Parceiros
Fundação Roberto Marinho
 
Undime, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação
 
Conséd, Conselho Nacional de Secretários de Educação
Coordenação técnica
Cenpec, Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Iniciativa
Itaú
 
Ministério da Educação
Programa Escrevendo o Futuro / Olimpíada de Língua Portuguesa
Cenpec - Rua Minas Gerais, 228 Higienópolis, CEP 01244-010 São Paulo/SP
Central de atendimento: 0800-7719310
Fim do rodapé