Indicações para férias

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

DOZE DICAS PARA LER, OUVIR E ASSISTIR NAS FÉRIAS

Enfim, chegamos à temporada de férias! 

Para rechear esse período com muito lazer e conhecimento, o Portal Escrevendo o Futuro preparou uma lista com indicações de livros, documentários e músicas. Novas sugestões sempre são bem-vindas, então compartilhe as suas indicações!

18 dezembro 2019

 

PARA LER

O lugar onde vivo - Textos Finalistas

Autores: Estudantes finalistas da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa

As páginas desta publicação são compostas por poemas, memórias literárias, crônicas, artigos de opinião e sinopses de documentários, carregando histórias de diferentes lugares. Esse livreto é fruto do percurso traçado pela 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa e traz os textos dos 172 alunos finalistas do concurso.

Clique aqui para acessar.

Crônicas para ler em qualquer lugar

Autores: Gregório Duvivier, Maria Ribeiro, Xico Sá

Editora: Todavia

Este livro é composto de crônicas escritas por 3 autores, parte delas já publicadas, outras inéditas. Maria Ribeiro tende mais à contemplação; Gregorio Duvivier, à ironia; Xico Sá, ao lirismo. Mas todos os textos são marcados pela voz original e pelo tom personalíssimo. Tem um pouco de tudo: humor e nostalgia, sarcasmo e saudade, erudição, amor e dor.

Fonte: https://todavialivros.com.br/livros/cronicas-pra-ler-em-qualquer-lugar

Memórias da Plantação: Episódios de racismo cotidiano

Autora: Grada Kilomba

Editora: Cobogó

A obra é uma compilação de episódios cotidianos de racismo escritos sob a forma de pequenas histórias psicanalíticas. Das políticas de espaço e exclusão às políticas do corpo e do cabelo e passando pelos insultos raciais, a autora Grada Kilomba desmonta, de modo incisivo a normalidade do racismo, expondo a violência e o trauma. É um livro completo, que combina teoria pós-colonial, estudos da branquitude, psicanálise, estudos de gênero, feminismo negro e narrativa poética, trazendo uma reflexão essencial e inovadora para as práticas descoloniais.

Fonte: https://cobogo.com.br/livros/memorias-da-plantacao-episodios-do-racismo-cotidiano/

O corpo dela e outras farras

Autora: Carmen Maria Machado/ Tradução: Gabriel Brum

Editora: Planeta

Uma poderosa coletânea de contos que em sua originalidade ultrapassa as possibilidades da ficção contemporânea. A autora, Carmem Maria Machado, derruba as fronteiras arbitrárias entre realismo, ficção científica, comédia, horror, fantasia e fábula. Nesta obra provocativa, o gênero literário é desfiado em narrativas que mapeiam a realidade das vidas das mulheres e seus corpos.

Fonte: https://www3.livrariacultura.com.br/o-corpo-dela-e-outras-farras-2000177862/p

Ideias para adiar o fim do mundo

Autor: Ailton Krenak 

Editora: Companhia das Letras

O autor deste livro é líder indígena e, seus escritos desenrolam-se em uma crítica à ideia de humanidade como algo separado da natureza. Seu principal ponto é a região do vale do Rio Doce, um lugar cuja ecologia se encontra profundamente afetada pela atividade de extração mineira. Na obra, Krenak, afirma a importância de que a resistência indígena se dê pela não aceitação da ideia de que somos todos iguais. Somente o reconhecimento da diversidade e a recusa da ideia do humano como superior aos demais seres podem ressignificar nossas existências e frear a marcha insensata em direção ao abismo.

Fonte: https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14722

Essa gente

Autor: Chico Buarque

Editora: Companhia das Letras

O livro gira em torno do protagonista, o escritor Manuel Duarte. Logo, o leitor é conduzido à um dos muitos becos da trama. Com estrutura de diário e reflexão sobre a linguagem, ao melhor estilo, Chico Buarque borra as fronteiras entre vida, imaginação, sonho e delírio, e constrói uma narrativa engenhosa, em cujas entrelinhas se descortinam as contradições de um país fraturado.

Fonte: https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14803

PARA ASSISTIR

A B Ser (2010)

Gênero: Documentário

Direção, roteiro e produção: Mariana Luiza

Duração: 52 minutos

Num centro comunitário em Macaé, no interior do Rio de Janeiro, um grupo de idosos, compartilha o prazer das descobertas da alfabetização. São oito alunos, com idades entre 50 e 77 anos e uma similitude: a vontade de ler, escrever e ver a vida por uma nova ótica.

A B Ser conta a história de Maria, poetisa, que já não precisa mais guardar na memória as poesias que cria. Apresenta Gilda, que deseja aprender a ler para voltar a sua terra natal e desvendar seu passado. E mais seis personagens, com histórias de exclusão e um futuro de sonhos.

Fonte: http://www.afroflix.com.br/item/a-b-ser/

Crianças de terreiros, redes educativas e diferenças (2017)

Gênero: Documentário

Dirigido por: Grupo de Pesquisa Kékeré/UERJ

Duração: 14 minutos

Os terreiros existem como testemunho material e imaterial de um modo de vida que não foi submetido pela colonialidade. O objetivo deste projeto audiovisual, é fotografar e filmar os cotidianos das crianças, apresentando como essas crianças e jovens de terreiros sentem orgulho de suas comunidades e de si mesmas. Como aprendem, ensinam, o modo como brincam; sobretudo como subvertem e interagem. Este vídeo é uma contribuição na luta contra o racismo e a intolerância religiosa. As crianças nos iluminam com amor à ancestralidade, solidariedade e respeito.

25 de julho - o feminismo contado em primeira pessoa (2013)

Gênero: Documentário

Diretor: Avelino Regicida

Duração: 60 minutos

 

O filme surge por conta da curiosa situação de existir uma data tão significativa para as mulheres, em nosso contexto político social, o 25 de julho (Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha) e mesmo assim o dia 8 de março ainda é mais reconhecido e comemorado por nossas guerreiras terceiro-mundistas. Assim surge a proposta de desenvolver um documentário/pesquisa que trate sobre a data e diversas questões que a cercam.

Fonte: http://www.afroflix.com.br/item/25-de-julho-o-feminismo-contado-em-primeira-pessoa/

Programa Espelhos com Lázaro Ramos

Gênero: Entrevista

Duração: 25 minutos

 

O programa Espelhos com o apresentador Lázaro Ramos exibe uma entrevista com a cantora expoente de uma nova geração. Luedji Luna, comenta sobre seu chamado para a música. 

PARA OUVIR

Luz Negra 

Artista: Maria Bethânia

Em novo álbum Mangueira - A menina dos meus olhos, a cantora Maria Bethânia celebra a escola de samba Mangueira e regrava Luz Negra (1961), uma das obras-primas do compositor Nelson Cavaquinho.

Goteira

Artista: Luedji Luna

A cantora Luedji Luna traz uma atualização moderna dos ritmos baianos. Aprecie o jeito delicado com que ela desliza na melodia da canção Goteira.

3 thoughts on “Indicações para férias

  1. Parabéns a toda a equipe pelo belo trabalho de incentivo a leitura e escrita ao longo do ano com o objetivo de tornar o estudante um protagonista de sua história. Essas dicas de férias são a cereja do bolo! Obrigada pelas trocas e sugestões que serviram para enriquecer a nossa formação e colaborar com a nossa prática em sala. Essas doze dicas servirão para deixar o período de férias mais prazeroso e produtivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *