A tela

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Mayra Lourrana de Souza Silva


Mayra Lourrana de Souza Silva, de Vitória do Xingu (PA), foi uma das vencedoras da categoria Poema na 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa. Em seu poema, a estudante pinta aos olhos do leitor "a tela do meu lugar", mesclando tons de realidade ao sonho de "uma vida de céu azul nas roças da cidade".

Pintei meu chão
Na folha do caderno,
Pintei a alegria do verão
E a tristeza do inverno.
Pintei um pedaço de pão
Que não tenho em minha mão.

Pintei minha casa,
O pinto que pia solitário.
Pintei o gato grandão
Que pinta no telhado.
E pintei um pedaço de pão
Que não pinta nem salgado.

Pintaria minha Vitória
Com tom de alegria,
Não fosse a necessidade
Que pinta no dia a dia,
Desde o nascer do sol
Até o pintar da noite.

Sonho em pintar Vitória
Com roças e pastos fartos.
E pintar o rio de histórias,
Belezas, cultura e farturas,
Porque não quero pintar
Uma roça de amarguras.

Ah! Como quero pintar
Uma vida de céu azul
Nas roças da cidade
De Vitória do Xingu.
Ah! Como quero
Pintar essa tela.

Essa quero pintar e ler
No meu velho caderno,
Pra ficar de tom eterno,
Pra que a paz possa pintar
Na terra e no teto o prazer
De ver a tela do meu lugar.


Professor Edio Wilson Soares da Silva

EMEIEF Daniel Berg, Vitória do Xingu-PA

One thought on “A tela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *