A Literatura Salvou Minha Vida

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
19 julho 2018

A Literatura Salvou Minha Vida

Luciana Leão Brasil
Itajubá (MG)

A emoção atravessa-me, punge em mim, ao lembrar do “relacionamento” que tenho com a leitura e com a escrita.

Aprendi com o grande escritor e contador de “estórias” Eduardo Galeano, em uma epígrafe de uma de suas obras, que recordar vem do latim re-cordis, ou seja, tornar a passar pelo coração. Hoje, dia 19 de março, dia do aniversário da minha cidade, Itajubá, e também dia de São José, torno a rememorar dois temas que são muito caros para mim. Caros significando queridos.

Aprendi a ler muito cedo, praticamente sozinha. Porque eu amava contos de fada e minha mãe não tinha paciência para lê-los para mim. Então, num “belo dia”, ela disse:

– B com a da Ba, d com a, da e assim por diante...

Muni-me de coragem, disposição e determinação e fui ler.

A verdade é que sempre fui uma criança solitária, por isso fui ler. Olho para trás e vejo “meus amigos” como um conjunto de livros, que ganhei de uma vizinha, guardados numa caixa de papelão de máquina de lavar. Sim, meus amigos foram meus livros. Os livros me salvaram da solidão, da depressão, da tristeza, da vida infeliz que eu levava.

Minha mãe separou-se do meu pai quando eu beirava dois anos. Outra vida, outro marido, novos filhos... Não tardou para que eu ficasse de lado. Razão pela qual o livro da minha vida é Cinderela.

Fui transformada em babá dos meus irmãos (um menino e uma menina). Nessa época eu não me sentia integrante da família. Era uma mini empregada da casa e cuidadora dos meus irmãos.

Todas as noites eu sonhava com dias melhores, felizes e que um dia um príncipe me tiraria daquela existência patética, infeliz e de exploração. Enquanto isso ia lendo...

Eu tenho muitos livros cujo carinho é especial, Polyanna, Sítio do Pica-Pau Amarelo... Quando li o Sítio, do Monteiro, eu queria muito ser a Narizinho, queria ter a Emília para me defender do sofrimento e uma avó como a Dona Benta que me protegesse do “Lobo Mau”.

Simplesmente amo do fundo da minha alma e coração a Literatura Infantil, as autoras Lygia Bojunga Nunes e a Marina Colasanti. Adoro a literatura de Ricardo Azevedo.

Quando eu contava mais ou menos sete anos fui à Feira do Livro de Porto Alegre, sou gaúcha de lá. Nesta feira eu me perdi da minha professora, lá na Praça da Alfândega, lugar em que ocorre o evento, até hoje.

Fiquei muito apavorada e com muito medo. Mas de repente um senhor de cabelos brancos, veio ao meu socorro, e falou-me que iria me ajudar a encontrar a minha “tia”. Foi Mário Quintana que me achou e me devolveu para a minha professora. Lembro sempre com muito carinho dele. Não preciso fechar os olhos para lembrar daquela mão grande e enrugada segurando a minha mãozinha pela Praça da Alfândega...

A escrita veio depois de um tempo. A escrita encanta-me. Desde um simples diário até textos mais complexos de natureza científica.

Escrevo de tudo um pouco. Sou doutoranda em Linguística, na UNICAMP, publiquei dois livros em conjunto com outros pesquisadores e tenho vários artigos em minha área de atuação. Não falo para me gabar, mas para mostrar a relevância da escrita.

A escrita científica é algo que me instiga muito. Mas meu sonho é escrever literatura de autoajuda para auxiliar as pessoas a darem a volta por cima em suas vidas e saírem da infelicidade.

Eu, a Luciana, jamais achei que fosse ser alguém, tive muita dificuldade para estudar, parei de estudar um tempo. Voltei cursando o supletivo (hoje EJA). Fiz mestrado... Fui virando gente aos poucos, porque os traumas e a tristeza me corroeram por dentro. Mas segui devagar e sempre...

Quanto ao príncipe, o encontrei em 2000, estamos há dezessete anos juntos, casamos oficialmente em 2013.

Dia desses um ser muito sábio falou-me que nós dois somos almas companheiras para a vida toda. Eu questionei. Por que não almas gêmeas? Ele falou-me, então, que alma gêmea é o encontro de nós com a gente mesmo. Se isso for verdade eu sou a Luciana Forte e Guerreira que pegou no colo aquela luciana pequenina, carente e triste, que um dia fui, e deu um abraço bem apertado dizendo:

– Nunca mais vou te abandonar, conte comigo para sempre...

24 thoughts on “A Literatura Salvou Minha Vida

  1. Texto envolvente. Pretendo lê- lo para meus alunos para que entendam que os traumas não são obstáculos, e sim,podem muito bem nos impulsionar a conquistar nossos sonhos.

  2. Me comovi com a história e me encantei com a “cinderela” que não ganhou um príncipe para te salvar da escravidão, mas ganhou uma das coisas mais importantes da vida de uma pessoa, “liberdade”.
    A liberdade de sonhar e concretizar um sonho, a liberdade de andar com suas próprias pernas e não com as pernas de um “príncipe” e a liberdade de crescer como ser humano.
    E qual foi sua recompensa?
    Ser exemplo pra outras tantas “cinderelas”, ser motivação para as meninas escravas da pobreza, não só de dinheiro, mas também de auto estima de vontade de viver e principalmente de ser ver como alguém no mundo.
    Vibrei de ver como ela não só se superou, mas se transformou em uma grande incentivadora, não dando valor somente ao dinheiro, mas aos estudos, a leitura e escrita.
    Falo sempre isso aos meus alunos e para minhas colegas de trabalho, mas na maioria das vezes vejo que elas riem da minha cara dizendo que: ” tem tanta gente com diploma na mão desempregado, pra que perder tempo estudando tanto?”, isso sim é triste.
    E quando leio um relato desse onde a pessoa não se tornou amarga, nem rancorosa, mas incentivadora da leitura, fico mais motivada a não desistir das minhas crianças.
    Amei a história.
    Sempre pensei em fazer mestrado, mas nunca me arrisquei.
    Não sei se teria essa coragem e nem capacidade de cursar um mestrado, mas não sou frustrada por isso.
    Ainda estou longe de ser essa Luciana: corajosa, determinada e auto didata.
    Agradeço por compartilhar sua história.
    Me chamo Sandra e sou Professora de Educação básica ,numa escola pública de Guarulhos.

    1. Nossa, Sandra, que palavras! Não importa o que digam: você é uma vencedora, e com certeza um exemplo para os seus alunos. Tenho certeza que sua marca está em muitos corações de alunos que, em alguma aula sua, uma mensagem linda, dita por você, foi guardada no coração. Você é capaz de tudo sim. Arrisque-se . Estamos sempre rodeados por pessoas que já desacreditaram na Educação há muito tempo, mas não lhes dê ouvido, porque isso mina o que a duras penas ensinamos a nossos alunos, não desista de seus alunos, de suas crianças, porque muitas das vezes, a nossa sala de aula, é o único refúgio de Amor que eles têm. Abraços e muitas felicidades!

    2. 19 agosto de 2018.
      Olá, Sandra!
      Concordo com você sobre a “nova Cinderela” que “não só se superou, mas se transformou em uma grande incentivadora”. O texto da Luciana é tocante, comovente, estimulante.
      Quanto ao seu Mestrado…estou torcendo para que você um dia decida fazê-lo. É um grande aprendizado. Não deixe de fazer se tiver oportunidade.
      Um abraço. Sucesso na sua carreira.
      Lucinda Nascimento (participante dos cursos Sequência Didática (já terminado) e Leitura vai…Escrita vem (em andamento).

  3. Comovente sua história de vida e companheirismo com a leitura. Os sofrimentos quando por força de Deus, eu acredito, ou das forças do universos, como alguns cogitam, nos tornam mais sensíveis e reflexivos e assim somam positivamente às nossas recordações, passam pelo coração como aprendizado. Também sou leitora, minha mãe não lia para mim porque não sabia ler. Familiaridade com livros veio de outras fontes, que aqui não é o caso. Parabéns pela força de vida e de exemplo.

  4. Que lindo e emocionante. Talvez porque algumas destas palavras também me peguem pelo colo dizendo que há muito em comum com minha história. A s oportunidades que este Portal nos favorece é sem medida, porque não é coisa de mensurar, é de sentir. E isso a gente leva para vida toda.

  5. Olá, Luciana Forte e Guerreira!
    Tenho uma história parecida com a sua, não pela tristeza da sua infância, mas pela ‘autoresponsabilidade’ com uma ferramenta de transformação individual que transcende ao social. Se no seu lindo caso, o enfoque transformador foi a leitura e a escrita, no meu caso foi a educação e a oportunidade de ler, conhecer, escrever, trabalhar, viver. Hoje compreendo como a educação transformou a minha vida, e é por isso que alardeio pelos quatro cantos que tenho uma dívida impagável com ela e, que, enquanto tiver forças, lutarei para que outros como eu possam viver a mesma experiência.
    Parabéns!

  6. Que história emocionante, Luciana!
    Você é exemplo de autossuperação.
    Quais os livros publicados por você? Gostaria de conhecê-los.
    Abraço.

  7. Que relato emocionante, Luciana! Sem sombra de dúvidas a leitura e a escrita têm o poder de transformar e de salvar almas. Parabéns ! Amei seu relato!

  8. Olá Luciana, sua história se parece com a minha, sou professora também e na minha caminhada experimentei um momento triste que só saí quando vi na literatura de cordel um prazer novo. Hoje levo esse gênero textual para minhas aulas e tenho um sonho de poder contar minha história como você. Desejo amor e sucesso para um mundo melhor. Obrigada pela sua história. Grande abraço.

  9. “Se isso for verdade eu sou a Luciana Forte e Guerreira que pegou no colo aquela luciana pequenina, carente e triste, que um dia fui, e deu um abraço bem apertado dizendo:
    – Nunca mais vou te abandonar, conte comigo para sempre…”
    Meu Deus,que história emocionante, que final exuberante,Luciana!A Literatura te libertou, a leitura te emponderou.Simplesmente,amei!Parabéns!!!

  10. Luciana, Conhecer seu artigo sobre Leitura é descobrir novos horizontes e ampliar as nossas atitudes como profissional

  11. Parabéns! Seu relato foi show. Eu já gosto de contar histórias pois foi através das histórias que despertei meus alunos para leituras e os recontas a cada final de bimestre sempre escolhemos um dia para fazermos a socialização do que foi lido, é um momento de troca de conhecimento muito bom. Um abraço!

  12. A leitura realmente faz parte da nossa vida todo tempo, pois é nela que interagimos com o mundo.Quando lemos , construimos diálogos consistentes e somos capazes de refletir os valores da nossa participação como cidadão crítico . Como professora de REDAÇÃO estimulo meus alunos à prática da LEITURA informando-os que através dela fortalecemos o nosso saber e nos tornamos mais sensíveis o que é fundamental para uma educação de qualidade.

  13. Cara Luciana,
    Você é um exemplo de vida! Seu texto é tocante, comovente, estimulante! Vou usá-lo com meus alunos para mostrar para eles que o nosso destino está nas nossas mãos, nas nossas escolhas.
    A leitura desperta nossos sentidos, abre os nossos olhos e nos faz enxergar além do horizonte.
    Parabéns! Sucesso na sua jornada!
    Lucinda Nascimento (participante dos cursos Sequência Didática (já terminado) e Leitura vai…Escrita vem (em andamento).

  14. Luciana, forte e guerreira! Parabéns!
    Fiquei muito emocionada ao ler o texto. Que belo exemplo de vida e superação. Amo contar histórias e motivar as pessoas à leitura, pois consegui vencer muitas barreiras através dos livros. Meus alunos que descobriram o mundo mágico e de conhecimento que os livros têm são pessoas felizes e de sucesso.
    Gostaria de ler mais suas produções.
    Ganhei o dia, o ano e uma grande motivação para continuar minhas leituras e trilhar esse caminho fantástico.
    Obrigada e um grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *