O desvio será bom ou ruim?

(L. S. S.)

O lugar onde eu vivo é uma cidade do extremo Sul do Estado do Espírito Santo, com uma população de sete mil quinhentos e treze habitantes, de acordo com o Censo do IBGE de 2010. O município tem o nome de Apiacá, não é tão grande e, na maioria das vezes, tudo o que acontece todos os moradores logo ficam sabendo, seja uma novidade ou problemas característicos de uma cidade pequena. Isso facilita a discussão constante de assuntos polêmicos.

Em nosso município, o governo propôs e quer fazer um desvio de estrada, porque nossa cidade está localizada  justamente onde muitos caminhões passam, com bastante frequência, vindos de Minas Gerais, com sentido à BR 101. Isso acontece diariamente e nossa pequena Apiacá, todos os dias, é invadida por enormes carretas que, muitas vezes, competem por espaço com os carros dos moradores e com as bicicletas das crianças.

O problema é que, por ser muito frequente a passagem dos caminhões, muitas das vezes acontecem engarrafamentos dentro da cidade, o que acaba atrasando as viagens dos caminhoneiros. Além disso, o tráfego diário até mesmo estraga o asfalto da cidade, por causa do peso dos caminhões. O desvio que o governo pretende fazer facilitará a passagem dos caminhões, acabará com os engarrafamentos e os caminhoneiros não perderão mais tempo nas viagens, por causa desses problemas.

Como falamos, nossa cidade é pequena e, por isso, a possível ação está dando o que falar no município, dividindo opiniões: uns acham que seria muito bom, que ajudaria bastante o município, deixaria a cidade com o trânsito muito mais livre, diminuiria riscos de acidentes de bicicleta com as crianças e não atrapalharia o sono dos que moram próximo ao asfalto, já que os caminhões circulam por toda a noite; outro  acham que seria muito ruim, pois deixaria a cidade “morta”, ou seja, sem movimento nenhum, pois o comércio da cidade depende muito desses caminhoneiros que por aqui passam, devido ao tamanho da cidade e ao seu pouco desenvolvimento econômico.

Na minha opinião, o governo deveria investir no município, em casas populares, construir hospitais bem qualificados e deveria valorizar a área turística. Tudo isso, além de gerar muitos empregos e melhorar a qualidade de vida da população, iria ajudar muito a cidade a crescer, tanto economicamente quanto fisicamente. Assim, a estrada do desvio, hoje distante do município, seria uma rodovia de trânsito rápido próximo da cidade, e o comércio não dependeria apenas dos caminhoneiros, pois teria outras formas de se desenvolver, aproveitando crescimento de nosso município.

*Esse texto faz parte do acervo da Olimpíada, constituído por diversas edições do Programa.