PONTOS DE VISTA

"Desde quando o homem pratica a argumentação? Estaríamos tentados a dizer: desde que comunica"

Phillippe Breton

Bem-vindo ao especial do gênero Artigo de Opinião! A seguir você encontrará uma seleção de materiais que complementam e ampliam o trabalho proposto no Caderno do Professor. Por isso, antes de continuar, é importante que você conheça bem todas as atividades do Caderno do Professor. Leia, reflita e se organize.

PÍLULAS DAS OFICINAS

Em 2019, a oficina 9 do Caderno do Professor foi atualizada. Para que você tenha uma ideia do que vai encontrar lá, destacamos um documentário utilizado na atividade e a oficina na íntegra!

Cidade Cinza

Documentário de Marcelo Mesquita, Guilherme Valiengo, utilizado na Oficina 9.

Oficina 9

Sustentação de uma tese

Nesta oficina, serão oferecidos diferentes tipos de argumentos. Lembrando que para escrever um artigo de opinião é importante ter uma tese muito clara para defender diante de uma questão polêmica.

PLANO DE AULA

Leitura de Artigo de Opinião

"Conhecer quem opina, o momento histórico, o ponto de vista do autor sobre o tema e os argumentos utilizados para defendê-los é Identificar as vozes e as diferentes informações ou posições a respeito de um assunto. Esta é uma proposta para a melhor leitura do gênero artigo de opinião sugerida neste plano de aula. Para isso, pode-se planejar várias maneiras de ler: uma aproximação inicial ao texto para sondar do que trata, uma leitura do texto em partes, com pausas para discussão e análise, releituras de trechos e de detalhes, privilegiando, assim, dinâmicas variadas, que alternem a leitura individual com o trabalho em pares, em pequenos grupos e com a turma toda."

Este plano de aula apresenta sugestões comentadas de atividades para a leitura do texto “Tá com dó do refugiado? Leva pra casa!” , de Leonardo Sakamoto, publicado no blog do autor em 8 de setembro de 2015 e foco da Oficina 11 – “Vozes presentes no artigo de opinião”, do Caderno Pontos de Vista (p. 132-143).

JOGO: PONTOS DE VISTA

No “Pontos de Vista” os estudantes são convidados a argumentar sobre assuntos do cotidiano. Questões de gênero, padrões de beleza, fake news, bullying e o papel da política na comunidade são alguns dos temas trabalhados. O jogo possui um conteúdo que suscita a tomadas de decisão e de opinião por parte dos jogadores, e está disponível em formato de aplicativo (APP) a ser baixado em dispositivos móveis, como celulares e tablets, e também no computador. Para jogar clique em "iniciar" na imagem ao lado e para baixar clique nos ícones abaixo da imagem.

 

Q.P BRASIL: O jogo da argumentação

O Portal Escrevendo o Futuro acaba de disponibilizar uma versão em PDF do Questões Polêmicas do Brasil - O jogo da argumentação. Nesta opção, professores e professoras podem imprimir o arquivo e montar o seu próprio jogo.

O jogo de tabuleiro traz questões relevantes da atualidade e o objetivo é apresentar argumentos consistentes, contrários ou favoráveis, em relação a questões polêmicas do cotidiano, em especial, as que são veiculadas nas mídias (redes sociais, TV, rádio, jornais e revistas).

JOGOS DE APRENDIZAGEM

São atividades lúdicas que seus alunos podem acessar e jogar. As propostas foram elaboradas a partir de alguns aspectos do gênero textual, trabalhados nas oficinas que compõem a sequência didática.

Para jogar é necessário ter o Adobe Flash instalado em seu computador.

LEITURAS SUGERIDAS

Carta aberta contra o preconceito – de Divinópolis para o mundo

Coautoria é a palavra-chave da proposta que a turma do 8º ano da E. M. Otávio Olímpio de Oliveira, em Divinópolis (MG), desenvolveu, passo a passo, com a professora Elizete. Aqui, ela nos conta sobre as estratégias que criou para os alunos não só se apropriarem do gênero carta aberta como para se sensibilizarem e redigirem argumentos contundentes contra o preconceito. O projeto “Escrevo-te estas bem traçadas linhas – Unindo nossas vozes contra o preconceito” comoveu a classe, causou reboliço na escola e culminou em uma carta aberta que teve a comunidade como destinatária em um evento escolar.

Clique aqui para ler a matéria

 
Escrevo-te estas bem traçadas linhas

Elizete Vilela de Faria – Escola Municipal Otávio Olímpio de Oliveira | Divinópolis / MG

Clique aqui para ler o relato de prática

Uma turma de opinião

O professor José Jilsemar da Silva já começou o ano se desafiando: escolheu uma turma desconhecida – e grande – para desenvolver um projeto de produção de artigos de opinião. Na efervescência da juventude, seus alunos do 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Desembargador Licurgo Nunes, em Marcelino Vieira (RN), logo mostraram que queriam ter opinião formada sobre tudo e aderiram à ideia. O próprio nome do projeto “Epa! Cadê a opinião?” já nasceu em uma arena de discussão, em que um aluno discordou de outro e disse “Epa! Me respeite”. Vivências para aprender a dialogar e a ouvir diferentes pontos de vista não faltaram durante o processo. Aqui, o professor nos conta algumas façanhas, incluindo como transformou a falta de internet no ponto mais positivo de seu projeto.

Clique aqui para ler a matéria

 
Motivo, tudo de que preciso

José Jilsemar da Silva – Escola Estadual Desembargador Licurgo Nunes | Marcelino Vieira / RN

Clique aqui para ler o relato de prática

A função concreta do texto

Uma crítica construtiva pode se tornar uma crítica que leva à construção. É isso que nos revela o projeto “Argumentação que leva à estrada da cidadania”, desenvolvido pela professora Michele Mendes Rocha de Oliveira, do Instituto Federal do Amazonas, em Tabatinga (AM), e apresentado no Seminário Nacional Escrevendo o Futuro. Alunos de quatro turmas do 3º ano do Ensino Médio engajaram-se na composição de uma carta de solicitação ao prefeito para reivindicar a pavimentação da rua da escola. Aqui, Michele nos conta como foi fundamental a parceria dos professores de Geografia, História, Biologia, Sociologia e Química na construção de argumentos para lá de sólidos.

Clique aqui para ler a matéria

 
Quem poderá nos defender? A escrita cidadã

Michele Mendes Rocha de Oliveira – Instituto Federal do Amazonas – Campus Tabatinga | Tabatinga / AM

Clique aqui para ler o relato de prática

OFICINA REGIONAL 2016 – ARTIGO DE OPINIÃO

Veja como foi a Oficina Regional de Artigo de Opinião 2016, que aconteceu em São Paulo. Na ocasião, alunos e professores semifinalistas de todo o Brasil vivenciaram atividades culturais e pedagógicas, onde puderam aprimorar sua escrita.

TEXTOS FINALISTAS 2016

Conheça os 38 textos finalistas de 2016 na categoria Artigo de Opinião e inspire-se!

DEIXE UM COMENTÁRIO!

Dúvidas ou sugestões? Compartilhe conosco.